PERTO O SUFICIENTE: AS FOTOGRAFIAS MAGNÉTICAS DE VANIA TOLEDO

 

“Life is what happens to you while you're busy making other plans”

(Lennon, 1980)

 

Cíclica e breve, enquanto estamos ocupados fazendo planos, a vida acontece. Poucos são os momentos que nos permitimos — ou que nos é permitido — viver intensamente o presente. As fotografias de VANIA TOLEDO possuem essa rara explosão de vida. São registros de pessoas realmente entregues aos momentos que estavam vivenciando. Não são fotografias protocolares, retratos cansados onde todos estão apenas cumprindo agendas e pensando nos próximos compromissos do dia. São retratos carregados de vida, de alma; frutos de encontros certeiros entre fotógrafa e fotografados. 

 

ROBERT CAPA aconselhava os colegas a se aproximarem do que estavam fotografando para conseguirem as melhores imagens. Talvez este fosse também o grande trunfo de VANIA TOLEDO. Formada em CIÊNCIAS SOCIAIS, começou sua carreira fotográfica em 1978, cobrindo estreias e festas para o jornal AQUI SÃO PAULO. Inicialmente, desejava fazer — a partir da sua formação — um estudo comportamental de pessoas que saiam para dançar à noite. No entanto, acabou envolvida com o seu pretenso objeto de estudo.  

 

Em ESTRELA DA NOITE, texto publicado em 2017, na edição 12 da revista ZUM, SILAS MARTÍ descreve bem esta relação: 

Ela está na pista de dança com seus modelos, e as imagens não desmentem essa proximidade suada e calorosa, de manchas de álcool, marcas de cigarro, meias desfiadas. 

(…)

Esse tratado  de Toledo sobre as boates mais quentes do Ocidente parece fotografia de guerra. Ela está infiltrada no combate, camuflada de salto alto e uma eventual clutch a tiracolo, grande o suficiente para guardar a pequena Yashica de flash embutido.” 

 

Camuflada, mas não como uma espiã que se disfarça para poder penetrar em um território inimigo, e sim, como alguém também pertencente aquele espaço. O depoimento de EMILIO KALIL, diretor-superintendente da FUNDAÇÃO IBERÊ, evidencia bastante essa duplicidade da fotógrafa: “Vania é uma das grandes memórias da cena cultural e dos mais badalados eventos sociais do eixo Rio/São Paulo. Ela não era apenas fotógrafa, ela era amiga de todos”.

 

Era notória a sua afinidade com as pessoas e com os temas fotografados, o que tornava as suas imagens ainda mais magnéticas. Em 2018, VANIA TOLEDO deu a seguinte declaração: “Meu vício é gente. Gente atuante, libertária, gente que produz e faz arte, que gosta de viver como eu. Por isso ou por aquilo, sempre fotografei pessoas assim, com esse perfil”.

 

Relembrando um dos muitos momentos de destaque da sua carreira, a exposição DIÁRIO DE BOLSA entrou em cartaz na PINACOTECA de SÃO PAULO em 30 de agosto de 2008. Uma mostra muito especial, e pessoal, que contou com registros feitos ao longo de décadas pela fotógrafa. Com uma câmera compacta YASHICA que sempre a acompanhava, ela formou o seu diário visual. Ao usar uma câmera discreta em registros cotidianos, inspirada nas POLARÓIDES de ANDY WARHOL, ela conseguiu se aproximar ainda mais — o suficiente, como diria CAPA — rompendo a barreira invisível que separa fotógrafos e fotografados. Uma prova irrefutável de que o olhar apurado é sempre o melhor equipamento que um fotógrafo pode ter. 

 

VANIA TOLEDO colaborou com grandes veículos de comunicação, publicou livros, teve suas obras expostas, retratou grandes artistas como FERNANDA MONTENEGRO, RITA LEE, NEY MATOGROSSO, CAZUZA, entre muitos outros. Ela faleceu no último dia 16 de julho de 2020, aos 75 anos. Uma perda gigante — tão imensa quanto o seu talento — para a fotografia nacional. 


Escrito por Lili Figueiredo. 

Imagem: Luiz Toledo

 

Referências:

MARTÍ, Silas. Estrela da Noite. In: Revista Zum. 12 ed. São Paulo: IMS, 2017. p. 142-156. 

 

FERREIRA, Mauro. Vania Toledo, fotógrafa que retratou a alma de ídolos da música brasileira, morre aos 75 anos. G1: 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2020/07/16/vania-toledo-fotografa-que-retratou-a-alma-de-idolos-da-musica-brasileira-morre-aos-75-anos.ghtml. Acesso em: 22 de julho de 2020. 

 

ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL. Vania Toledo. Enciclopédia Itaú Cultural: 2020. Disponível em: https://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa6958/vania-toledo. Acesso em: 22 de julho de 2020. 

 

FUNDAÇÃO IBERÊ. Vania Toledo, a fotógrafa que retratou almas com a beleza da arte e com a luz da generosidade humana. Fundação Iberê: 2020. Disponível em: http://iberecamargo.org.br/vania-toledo-a-fotografa-que-retratou-almas-com-a-beleza-da-arte-e-com-a-luz-da-generosidade-humana/. Acesso em: 22 de julho de 2020. 

 

O ESTADO DE S.PAULO. As crônicas visuais de Vânia Toledo.  In: O Estado de S.Paulo. São Paulo: 2008. Disponível em: https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/na-imprensa/as-cronicas-visuais-de-vania-toledo/. Acesso em: 22 de julho de 2020. 

 

LENNON, John. Beautiful Boy. In: Double Fantasy. 1980.

 

Postado em: 24/07/2020



Comentarios

Nenhum comentário.

Comente aqui