BRUNO ALENCASTRO E O PROJETO OBS-CU-RA

Fotografar é uma atividade viciante. E é com muita criatividade que diversos fotógrafos têm encontrado temas para continuar fotografando em tempos de isolamento social. Um deles é o associado da FOTOTECH BRUNO ALENCASTRO. 

.
Ele idealizou o projeto OBS-CU-RA, que consiste em usar o princípio da câmara escura para transformar a casa no interior de uma câmera e registrar uma imagem do exterior, recebida pela casa, sobreposta a uma cena interna deste período de reclusão.
.
Bruno convidou outros fotógrafos a participarem e repetirem o mesmo processo em suas residências. As colaborações enriqueceram o ensaio, adicionando novos cenários e personagens ao projeto. Evidenciando o fato de não ser apenas criativo, mas também documental ao registrar de uma forma artística a realidade atípica que estamos globalmente vivenciando.   
.
Ficamos curiosos para saber mais sobre o OBS-CU-RA. O Bruno foi tão solícito conosco, que a conversa rendeu uma entrevista. 
.
FOTOTECH: Bom dia, Bruno, tudo bem?
.
BRUNO ALENCASTRO: Olá! Tudo ótimo. 
.
FOTOTECH: Queria saber se você gostaria de falar algo a respeito do seu projeto, saber como ele está se desenrolando ou se ele já está concluído. Você se inspirou no Abelardo Morell?
.
BRUNO ALENCASTRO: Ah, que ótimo. Sim, uma das inspirações é justamente o cubano.
.
FOTOTECH: Quais são as outras inspirações?
.
BRUNO ALENCASTRO: Sempre admirei o trabalho dessa galera que têm desenvolvido trabalhos com projeções e vídeo mapping. Diretamente não tem algum nome... mas indiretamente, vários. Coisas que estão no nosso imaginário de referências e que em algum momento parecem fazer sentido e se materializam na forma de um trabalho, sabe? 
.
Tem a Roberta Carvalho, com o seu projeto Symbiosis. O JR com as intervenções artísticas pelo espaço urbano.  Até referências mais recentes como a desse "doidão" que cria câmeras nos lugares mais inusitados: https://brendanbarry.co.uk/cameras. 
.
O próprio Morell não foi uma inspiração "direta", mas um trabalho que eu conhecia e que também fez sentido no meio de todas essas referências...
.
Mas, sim, é o que mais dialoga com o obs-cu-ra.
.
FOTOTECH: Sobre a repercussão do projeto, você esperava?
.
BRUNO ALENCASTRO: Então, eu sempre tive bastante expectativa por acreditar que ele diz muito sobre os nossos dias. E, além disso, é uma realidade global. Por conta disso, desde o princípio, resolvi fazer todas as postagens e textos de divulgação bilíngues, na intenção de impactar o maior número de pessoas e não ficar restrito ao nosso país.
.
Aprendi isso quando vivi em Barcelona e um trabalho que desenvolvi por lá também ganhou uma repercussão internacional. Desde esse trabalho, aprendi a ser mais ambicioso com os projetos e sempre pensar grande. Extrapolar fronteiras que às vezes nos colocamos e que não fazem o menor sentido neste mundo hiperconectado e de distâncias que, na verdade, são virtuais, na maioria das vezes. 
.
Era este projeto aqui na época.
.
FOTOTECH: Como você escolheu os outros fotógrafos e como foi a aceitação deles? 
.
BRUNO ALENCASTRO: Comecei aqui em casa, fiz um primeiro teste e fiquei maluco com o resultado. Tanto pela estética, quando pelo conteúdo que ele comunica sobre os dias de hoje.  
.
Aí resolvi levar ele adiante na forma de um ensaio, convidando outros fotógrafos e fotógrafas. Queria um grupo diverso, com diferentes histórias de vida: o aniversariante solitário, o casal que transferiu o casamento, a liberdade de morar no interior, etc.
.
Convidei cada um deles... e aí fomos desenvolvendo o trabalho através de conversas via WhatsApp e videochamadas pelo Zoom. Fui "ensinando" como fazer a câmera e também participando da direção das fotos, sugerindo situações e enquadramentos.
.
Eles iam mandando testes e a gente ia aprimorando a partir disso.
.
FOTOTECH: Sensacional! 
.
BRUNO ALENCASTRO: O ensaio é muito maior. Escolhi uma de cada, mas sempre recebi um número maior de opções de fotos. No futuro, pensamos em usar este material para outros usos: exposições, talvez alguma publicação, projeções...
.
E agora a segunda fase do obs-cu-ra foi uma convocatória pública que fiz, chamando fotógrafos do mundo todo a também compartilharem suas fotografias.
.
Essa é a tag específica do projeto: https://www.instagram.com/explore/tags/obs_cu_ra/
.
FOTOTECH: Quais foram as maiores dificuldades da realização? Foram técnicas ou relacionadas à distância entre você e os participantes?
.
BRUNO ALENCASTRO: É muito louco, mas a distância não foi uma dificuldade. Evidente que eu gostaria de ter desenvolvido este trabalho em outros lugares, eventualmente estar presente em algumas das captações. 
.
Mas a maior dificuldade foi a questão técnica mesmo, presente em alguns casos.
.
Por exemplo, convidei um amigo que mora em uma casa de dois pisos e ele não conseguiu participar porque seria muito complicado vedar a entrada e luz que vinha do segundo andar pela escada.
.
Infelizmente, ele teve que ficar de fora.
.
FOTOTECH: O projeto tem tudo a ver com o momento. Você já tinha essa visão antes da pandemia e do Obs-cu-ra ou surgiu agora? 
.
BRUNO ALENCASTRO: Ele surgiu justo na quarentena, por isso. Ele é exatamente nascido e criado dentro dessa ideia de um mundo de cabeça para baixo.
.
Fiz a primeira foto no dia 24/04 e no começo do mês de maio já tinha a maioria das imagens.
.
FOTOTECH: Parabéns pelo trabalho! 
.
BRUNO ALENCASTRO: Legal... o trabalho merece. Não só por mim, mas pela repercussão que ele foi ganhando graças às pessoas que foram chegando... nesse sentido que "merece". Valeu pelas palavras e pelo destaque!
.
.
Adoramos saber mais sobre como surgiu e como foi o processo de criação das fotografias que fazem parte do Obs-cu-ra! Conheça mais imagens visitando a página oficial do projeto: https://brunoalencastro.com.br/obs-cu-ra/
.
.
Foto: BRUNO ALENCASTRO
Entrevista: PHILLIP ZELANTE
Texto: LILI FIGUEIREDO 

Postado em: 29/05/2020



Comentarios

Nenhum comentário.

Comente aqui